Conversando sobre educação científica

Aqui nós, do Núcleo de Educação Científica - NECBio, da UnB, criamos um espaço para a troca de idéias sobre educação científica, divulgação da ciência e debates sobre o papel da ciência em nossas vidas. Esperamos que sirva de mapa para a rica mina da divulgação científica e para recursos voltados para ensino de ciências e biologia. Aproveite!


quarta-feira, 14 de julho de 2010

Os conteúdos de saúde nos livros didáticos de ciências

O livro didático é um dos recursos mais presentes no ambiente escolar e muitas vezes é o principal meio utilizado pelos professores para direcionar o processo de ensino-aprendizagem. A partir do livro adotado os professores das diferentes disciplinas costumam selecionar os conteúdos e as atividades que organizam o dia-a-dia de sala de aula.

De acordo com Martins (2006), o texto do livro didático não é criado simplesmente a partir de uma transposição dos conteúdos de material científico para o ensino escolar. Ele deve contemplar as relações entre ciência, cultura e sociedade no que se refere à formação de cidadãos e sua composição deve partir de interações situadas em práticas sociais típicas do ensino na escola. Nesse sentido é possível afirmar que o livro didático representa uma articulação entre diferentes posições sociais e conceituais, constituindo e materializando o discurso sobre ciência na escola.

Em relação à educação em saúde nos livros didáticos de Ciências alguns autores destacam a importância do assunto e os problemas que podem estar relacionados às abordagens desse tema. Mohr (1995), em trabalho que analisa conteúdos de saúde nos livros didáticos, critica os conteúdos apresentados nos livros do ensino fundamental. Segundo a autora, os livros enfatizam mais os fatos do que as causas do processo saúde/doença valorizam excessivamente a memorização de nomenclatura técnica, e algumas vezes apresentam informações equivocadas, além de não se aproximarem do cotidiano do aluno.

Em estudo a respeito da educação para a saúde em manuais escolares espanhóis, Gavidia (2003), aponta que esses manuais não são uma referência suficiente para que os professores desenvolvam temas de educação em saúde na escola. E que, além disso, esse material não visa mobilizar mudanças de atitudes e de condutas na vida dos jovens.


Referências

FREITAS, E.O.; MARTINS, I. Concepções de saúde no livro didático de ciências. In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis, 2009. Anais do VII ENPEC, Belo Horizonte: ABRAPEC, 2009.

GAVIDIA, V. La Educación para la salud en los manuales escolares españoles. Rev. Esp. Salud Publica, n.2, v.77, p.275-285, 2003.

MARTINS, I. Analisando livros didáticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexões e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições, v. 17, n. 1 (49) - jan./abr. 2006

MOHR, A. A saúde na escola: análise de livros didáticos de 1ª a 4ª séries. Cadernos de Pesquisa, n.94, p.50-57, 1995.


Documentos Relacionados

Guia para a formação de profisionais de saúde e de educação


Links interessantes

Promoción de la salud en la escuela
Salud Publica

Um comentário:

Michèle Sato disse...

parabéns pelo blog e informações aqui postadas - estpa mto interessante!!!!

sobre os livros diáticos, fiz meu mestrado nisso e ainda que o tem seja antigo, o assunto não se esgota pela importância do tema.

PARABÉNS
beijos
*